Mr. Malas Internet & Informática - Desde 1998 - Tudo em Informática!

Voltar à página principal
 
 


Treze Tilias
Esta lenda foi contada por Dona Gertrudes, antiga moradora da cidade de Treze Tílias, localizada no oeste de Santa Catarina. Reza a lenda que em 1933, na Áustria, alguns agricultores ficaram sem terra para plantar e por isto sonhavam em se mudar para outro país. Naquela mesma região havia uma garota chamada Hildegard que vivia escutando da sua mãe: - Nunca vá para a floresta vermelha, pois lá tem fantasmas e mulheres enterradas em árvores. Porém, isto sempre aguçava a curiosidade da garota. Um certo dia, sua mãe saiu da aldeia, em direção à cidade, e avisou à menina: - Irei até o centro com o objetivo de ver a nossa mudança para outro país. Portanto, fique em casa, comporte-se e não vá para a floresta vermelha. Alguns minutos após a saída de sua mãe, Hidegard tomou coragem e foi até ao bosque proibido. Lá ela perdeu-se entre um circulo de tílias e passou a escutar vozes femininas que diziam: - Socorro! - Tire-nos daqui! - Leve-nos para outro lugar! Deste jeito, a garota perguntou em voz alta: - Quem são vocês? De repente, espíritos em formatos femininos saíram de treze árvores e a mais velha disse: - Na Idade Média, nós éramos lindas ciganas, mas fomos acusadas injustamente de bruxaria. Por isto, nos mataram e colocaram nossos corpos dentro destas árvores. Porém, há um jeito do nosso espírito se libertar, para isto você precisa pegar treze mudas de tílias e plantá-las em outro país, enquanto recita o poema Die Dreizehnlinden do escritor Wilhelm Weber, que acreditava em nossa lenda. Desta maneira esta criança pegou as mudas das plantas e voltou para casa. Quando sua mãe chegou, disse a seguinte novidade: - Hildegard, arrume as suas malas. Pois, iremos para o Brasil. Assim, as duas junto com um grupo de agricultores austríacos, foram para o novo país e receberam terras no oeste do estado de Santa Catarina. Quando chegou ao novo solo, Hildegard logo plantou as mudas de treze tílias. Naquele mesmo instante, apareceram os espíritos das treze ciganas que falaram: - Estamos livres e agradecemos pelas suas atitudes. Por isto, somos suas servas, agora. A partir daquele dia, as almas destas mulheres passaram a ajudar Hildegard em tudo: na lavoura e no serviço de casa. O problema é que algumas pessoas passaram a ver os fantasmas delas e o casarão da garota, que era todo pintado de cor de rosa, passou a ter fama de mal-assombrado. Por isto, até hoje esta residência está de pé e é conhecida como a casa cor de rosa do centro de Treze Tílias. Dizem que para ver as ciganas, basta deixar treze maçãs na porta do casarão, numa sexta-feira, de Lua cheia. Reza a lenda que esta cidade foi batizada de Treze Tílias porque o ministro da agricultura da Áustria, chamado Andreas Thaler, era fã do poema Treze Tílias do escritor Weber, que acreditava no causo das treze ciganas enterradas dentro da árvore, durante a Idade Média e fez a obra inspirado tanto nelas quanto nestas árvores.
Luciana do Rocio Mallon - 14/03/2015 18:26:58
 
Voltar à página inicial - Lendas Urbanas Voltar à página inicial - Lendas Urbanas Voltar à página inicial - Lendas Urbanas Voltar à página inicial - Lendas Urbanas